Apresentação do livro Gente Acenando para Alguém que Foge de Paulo Faria

Apresentação do romance Gente Acenando para Alguém que Foge, de Paulo Faria, com a presença do autor.

Apresentação a cargo de Ana Cristina Pereira e José Miguel Braga. Momento musical por Marta Ramos.

"Carlos, um homem de meia-idade, escarafuncha com o dedo na ferida aberta a que, por convenção, chamamos infância. O pai, antigo combatente, mantinha com a engrenagem dos afectos uma relação conflituosa, de que o filho se fez herdeiro. Carlos viaja até Moçambique em busca de uma criança nativa que o pai ali deixou, cinquenta anos antes, mas esta viagem de autodescoberta revela-lhe um país bem menos propenso às vertigens da memória do que sucede com a sua sensibilidade ocidental. Os casamentos, as guerras, as pazes podres, tudo Carlos prolonga além do prazo de validade. Ao longe vê passar, acenando, o amor, a ternura e as demais emoções que mitigam desencontros e que nos dão a provar a felicidade que há nos outros. Não é, porém, chamado a comungar."

Paulo Faria
Paulo Faria nasceu em 1967 e licenciou-se em Biologia por engano e descuido. Traduz há longos anos autores como Cormac McCarthy, Joyce, Orwell, Kerouac, Dickens, DeLillo, John Banville e muitos outros. Publicou em 2016 o romance Estranha guerra de uso comum (Ítaca) e, em 2020, reincidiu com Gente acenando para alguém que foge (Minotauro).

José Miguel Braga
José Miguel Braga é doutorado em Ciências da Comunicação, na especialidade de Teoria da Cultura, pela Universidade do Minho. É Professor Auxiliar Convidado nesta instituição, onde lecciona a unidade curricular «Técnicas de Expressão». É director artístico do Curso profissional de Artes do Espectáculo – Interpretação da ESAS (Escola Secundária Alberto Sampaio), em Braga, onde ensina Interpretação. É ainda actor e encenador no projeto PIF’H (Produções Ilimitadas Fora d’Horas).

Ana Cristina Pereira
Ana Cristina Pereira é doutorada em Estudos Culturais pela Universidade do Minho, com a tese «Alteridade e identidade na ficção cinematográfica em Portugal e em Moçambique». É investigadora pós-doc no CES – Universidade de Coimbra, membro do projeto (THE)OTHERING. 

Marta Ramos
Marta Ramos nasceu em Lisboa, em 1984, estudou no Fundão e na Guarda, e voltou à capital para se licenciar em Arquitectura pela Universidade Técnica. Frequentou aulas de formação musical e voz, passando pelo Jazz nas Oficinas do Hot Club. Tem sido presença regular e acarinhada na Associação José Afonso (AJA), em Lisboa e na Covilhã. Fundou, em conjunto com João Rodrigues, o dueto Acaso.
Tem-se também dedicado ao cinema, colaborando em vários filmes independentes, da produção à montagem. Recentemente, co-realizou com José Oliveira a longa-metragem Guerra.

.....................

NOTA SOBRE REGRAS SANITÁRIAS:
Todos os convidados devem manter dois metros de distância entre si, sobretudo entre famílias ou grupos diferentes, no interior e no exterior.
 No interior e onde o distanciamento não seja possível, é também obrigatório o uso de máscara.

 

Livraria 100ª Página | Casa Rolão Av. Central, 118/120 4710-229 Braga | Tel: 253 267 647 | Fax: 253 267 648